Dr. Eric Grossi Neurocirurgiao em BH

Se você chegou até aqui, com certeza se perguntou:

     Acho que  devem saber, que sou médico neurocirurgião em Belo Horizonte (BH), capital do estado de Minas Gerais, e terceira maior cidade do Brasil.

  Bom, para começar a contar minha estória, tenho que falar que fui alfabetizado em francês , no começo da década de 80, eu e minha família moramos muitos anos em Montpellier , França.

 Nesta época meu pai escreveu suas teses, de Master e de PhD, não em medicina, mas em economia rural brasileira. Foi nessa época, mais ou menos por volta de 1982, que conheci em seu departamento de economia , pela primeira vez, um terminal de computador. Parecia algo exclusivamente vindo do "olimpo", me fascinou instantaneamente, agora que eu sempre insistiria em visitar meu pai, e era para aprender mais sobre aquilo. Essa foi  uma paixão a primeira vista, bom , naquela época não foi tão claro  assim, mas após aquele pequeno contato fiquei obcecado em aprender ou ter um computador.

       Isso só foi concretizado cerca de 2 anos depois, quando na ocasião do meu aniversário de 10 anos, minha mãe presenteou-me com um "moderno e fantástico" TK82C, este era um Sinclair que ligávamos pela entrada antena , na velha  TV TELEFUNKEN e rodávamos  programas , gravados em fitas cassete, através de um toca fitas GRUNDIG.

     Após o 82C, vieram CP400II(TRS-color), TK2000( +_ Apple II), TK3000 (Apple IIe), Amiga, MSX e finalmente aos 14 anos , comprei com meu próprio dinheiro, advindo de serviços de pequenas manutenções e montagens de poucos PCs,  meu primeiro 8088, este era espartano, nesta época com um estonteante monitor ambar de 13 ',  um HD de 16mB da Seagate e drives 5’1/4" Sony.

     Nesta mesmo ano, eu e melhor amigo e também vizinho, Fausto Luiz Jorge Padua, também um fanático por computadores, e que até hoje continua meu amigo, fundamos uma “pseudo” empresa de software que colocamos o nome fantasia de  “Compuprog”,  Foi nessa época que ele ganhou também um micro muito poderoso para sua época, era um Hotbit MSX 

          Iniciamos com pequenos trechos de código em basic, visual basic, dbase III, pascal, ela foi logo esquecida , devido a dificuldade , naquela época, de acharmos cursos ou mesmo livros; aqui vale lembrar da saudosa editora CAMPUS,  que quando disponíveis, para meros "piralhos" de classe média, eram inaceciveis. A Compuprog não vingou, mas restou a paixão ,em entender o que se passa por trás de cada software,  e de como ativar este agora poderoso e quase onipotente  hardware.

       Mesmo quando iniciei a faculdade de medicina na UFMG ( Universidade Federal de Minas Gerais ), mudei-me de cidade, na saída de Brasília foi comigo meu famijerado e ruidoso desktop quadradão, era um pentium II, claro que nãqo Celerom.

       Naquele tempo estava ainda na trilha do windows , isso mudou  quando conheci meu chefe (neurocirurgião) Professor Sebastião Gusmão que sempre foi um entusiasta do Macintosh Plus, sendo dos primeiros brasileiros a adquiri-lo durante o seu lançamento em  1986. Sempre alternando trabalho em plantões de urgência e longas horas de  estudos intensos , estagiei nos EUA e em 2006 comprei meu primeiro MAC e desde então trabalho praticamente com macOS e iOS.

E o MEDcodigos, quando apareceu esta idéia?

  No Brasil desde  1988, quando o governo implementou o Sistema Único de Saúde(SUS), que inicialmente era um  sistema que deveria ser único, porém desde seu início ele é sub financiado, Basta vermos os números dos gastos em saúde de 2017. O SUS que trata 135 milhões de Brasileiros gastou cerca de 107.2 bilhões de reais (29 bilhoes de dolares) com a saúde desses brasileiros que não tem condições de pagar um plano ou seguro privado, enquanto  o sistema suplementar (privado) para tratar de 43 milhões de pessoas gastou 179.4 bilhões de reais (47.8 bilhões de dólares)     

   No SUS existe uma tabela única que paga um valor fixo e muito aquém do real, independente do tempo e da duração dos procedimentos, A tabela do SUS é gerida pelo Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPME do SUS (SIG-TAP SUS) que tem 4300 procedimentos médicos catalogados, não subdivide os procedimentos por autor, pagando um valor único que os médicos devem dividir com todos os profissionais envolvidos indivi dualmente com o procedimento.

    Com o visível crescimento desordenado do sistema privado de saúde, surgiram milhares de empresas operando neste setor, de diversos tipos e interesses, e cada uma queria implementar uma tabela diferente, então com isso os médicos se uniram e em 1990 publicaram a primeira  tabela da Associação Médica Brasileira (AMB), sendo a mais usada e perene a AMB 1992, que consistia de 3000 procedimentos e suas códigos, valores e número de auxiliares. Bom, de lá pra cá, a Associação Médica Brasileira já publicou mais de 16 tabelas, sendo que hoje existe uma nomenclatura moderna e atual com valores hierarquizados e atualizados, baseados no tempo e na dificuldade do trabalho realizado pelo médico,  a CBHPM (Classificação Brasileira de Procedimentos Médicos)  surgiu em 2003,  e desde 2008, a Agência Nacional de saúde Suplementar (ANS) entrou em maior sintonia com a AMB e exigiu das operadoras a implentação de um rol mínimo de procedimentos que seguia com uma nomenclatura padrão (rol ANS) baseada na CBHPM , mesmo assim ainda existem planos de saúde e seguros de saúde que utilizam a mesma tabela inicial  de 1992.

      Para a saúde privada , a ANS implen-tou  a Terminologia Unificada da Saúde Suple mentar, o TUSS, são todos os procedimentos existentes e realizados na saúde privada brasileira) que em se tratando de procedimentos médicos temos 5888 descritos no TUSS. O rol da ANS é o mínimo que a agência julga necessário para se garantir a saúde dos consumidores de planos privados, portanto ela exije que as operadoras realizem pelo menos 4935 dos procedimentos médicos da TUSS, isto incluindo consultas, cirurgias, exames e transplantes.

   Com o desenvolvimento da pos-sibilidade de  manipulação de uma enorme quantidade de dados ,parece antitético que, a cada dia, vemos mais um papel, relatório ou formulário para se preencher. Para cada solicitação de cirurgia ou exames, é necessário ter em mãos, pelo menos cerca de 8 códigos diferentes, um para cada exame, um para cada doença, um para cada procedimento a se realizar. Foi desta necessidade prática e diária que surgiu a idéia de se conceber, codificar, planejar e desenhar um app que fosse definitivo para códigos médicos, precisava-se de algo que fosse principalmente : rápido, simples de procurar, amigável de manipular e claro, completo.

       A história pregressa: o aplicativo mais usados por nós até 2016 era um que tinha 7 tabelas da medicina suplementar e que infelizmente deixou de ser atualizado em 2014, e simplesmente parou de funcionar completamente no dia que atualizarmos os iphones para iOS 10 .

      Esse acontecimento me estimulou a iniciar esta hercúlea empreitada. Iniciei devagar e findo 90 dias , ao término da base lógica de código do app, fiz algo que hoje, com a experiência, achei um popuco precipitado. 

  Publiquei a primeira versão, do MEDcod dia 25 de abril de 2018,  a idéia era cool, o app desenpenhava bem sua função, ou seja , informa códigos e informações classificadas e específicas advindas de uma grande base de dados,  mas o design poluido e muito pouco amigável, com nítida certeza, ficou aquém do que eu p[oderia produzir.

    Hoje, 18 versões mais tarde,  eu e o app fomos  evoluindo , e neste momento, março de 2019, o MEDcod TUSS SUS CID Honorário é usado por cerca de 1850 pessoas no Brasil, sendo que destes 1550 são médicos, tem 76 tabelas diferentes de códigos administrativos da saúde. 

Ele é o único app que disponibiliza tanto as informações da medicina privada como aquelas do SUS (público), também o único que separa os códigos da CBHPM ( Classificação Brasileira Hierarquizada de procedimentos médicos) em especialidades e ainda,  para ortopedia, cirurgia geral e radiologia , em sub especialidades.

O MEDcod inovou porque foi o primeiro e único app a mostrar os 54 maiores convênios do Brasil , um por um , com  suas respectivas informações atualizadas via webservice, ou seja , vc seleciona o convenio e pode em 3 segundos , saber qual o preço pago por consulta, prazo para faturar , número de segurados, site daquela operadora, e principalmente a tabela utilizada atualmente por aquele plano de saúde.                            

MEDcod não informa só os médicos , disponibiliza também as tabelas TUSS e rol da ANS dos fisioterapeutas, fonoaudiologos, dentistas e psicólogos Ainda mostra a tabela TUSS de outros setores da saúde como medicamentos, orteses e proteses e materiais especiais (OPME) e de insumos hospitalares, sendo a de OPMEs  a mais extensa , perfasendo quase 89000 itens.

Desde a versão 2.9, quando você acessa uma informação dentro do MEDcod, você tem a opção de dentro do programa baixar, compartilhar ou  acessar a tabela original impressa pela AMB ou as próprias de cada convenio.

 

MEDcod é o único app que ensina como codificar, e como chegar ao exato valor pago a cada ente envolvido naquele procecimento, ou seja, você consegue entender e descobrir, quanto o cirurgião , o 1º auxiliar, o anestesista e todos os outros , que por ventura participem do procedimento, irão receber como honorários.

A despeito disso, ele ainda  dispõe de várias funcionalidades estatísticas, algumas que implementei recentemente, versão 2.95,  como a de visualizar gráficos analíticos em cada tabela comparando a remuneração ao numero e tipo dos procedimentos.

MEDcod é um dos poucos aplicativos que tem algumas funções exclusivas de procura e de filtragem, onde o usuário tem a possibilidade de escolher váriáveis da tabela e filtrá-las conjuntamente, esta função é essencial em tabelas com muitos milhares de itens quando o usuário tem pouca familiaridade com os dados e a procura simples dificilmente, produzirá respostas satisfatórias.

      Espero que tenham compreendido minha estória, e o tanto que o MEDcod pode ajudar profissionais da saúde brasileira; que são muito mal remunerados e forçados então, a ter inúmeras fontes de renda, baixando assim a qualidade de vida deles e de seus pacientes. Acredito piamente que em  muitas vezes, é com o  MEDcod que eles podem verificar e se dar conta disso.

          Leiam o "prólogo da gênese deste app"  , esta seção dentro da descrição do app nas lojas do ios e android fala o  porque criei este aplicativo. Acesse aqui: 

 

Para iOS

https://itunes.apple.com/br/app/medcod-tuss-sus-cid-honor%C3%A1rio/id1375786132?mt=8

Para Android

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.app.q6599AH

 

       Sei que é um pouco não usual, um neurocirurgião programador, eu pelo menos, nunca conheci nenhum, mas sou apaixonado pelas duas coisas, informática e medicina, e tive o privilégio de encontrar minha aptidão para este ofício cirúrgico, gostaria que , quem sabe daqui um tempo, meus usuários pudessem falar o mesmo para este outro ofício - paixão.

Neste ano  estou desenvolvendo  meu phD , que tem como temas ,neurocirurgia e realidade virtual, demonstrando que a programação pode em muito ajudar a neurocirurgia. 

OBS: Todos os itens grafados em amarelo , estão contemplados e podem ser consultados  na biblioteca de tabelas que MEDcod disponibiliza ao seu usuário.

  • MEDcodigos TUS SUS CID CBHPM app
  • MEDcodigos Pin
  • MEDcodigos TUSS SUS CID CB
  • MEDcodigos app medical instagram
  • MEDcodigos perfil Linkedin
  • MEDcodigos app Android playstore
  • Canal youtube MEDcodigos
medcodigosfinal.png

3132730511

Rua Prof. José Renault 200/1001

Belo Horizonte - Minas Gerais- Brasil

31 32931822